11 de setembro de 2018

Tecnologia na sala de aula: por que o iPad é a porta de entrada

É consenso entre os gestores escolares atualizados com a tecnologia: a melhor ferramenta digital para a Educação é o iPad. Afinal, mais do que oferecer recursos multimídia que enriquecem a experiência de aprendizado, ele abre caminho para um novo mundo. O dispositivo da Apple costuma ser a porta de entrada para projetos pedagógicos avançados, em que o aluno é protagonista. Muito além de modernizar as práticas da sala de aula, o iPad permite acessar todo um ecossistema voltado à Educação. São programas completos de estudo, aplicativos e materiais gratuitos, além de uma experiência digital absolutamente fluida. No Brasil, já fervilham cases de sucesso baseados nas soluções educacionais da Apple. E o da Escola Crescimento, de São Luís/MA, é um belo exemplo.

Fundada há 32 anos, a Escola Crescimento sempre teve o empreendedorismo como uma de suas bases para a educação. Por meio de um currículo abrangente, trabalha a formação integral dos alunos como agentes de transformação social. Seu modelo inovador de aprendizado e gestão originou um dos maiores conjuntos institucionais de ensino do Maranhão: o Grupo Crescimento. Fazem parte dele a própria Escola Crescimento (unidades Renascença e Calhau), Espaço Mais Crescimento e Maple Bear São Luís. Suas práticas de excelência no ensino foram inclusive reconhecidas com a certificação ISO 9001:2000 – e recertificadas na versão 2008.

 

iPad como estímulo ao protagonismo

Em 2012, o grupo escolar implantou o programa de Tecnologia Educacional Crescimento 3.0, que atribuiu novo significado às ferramentas digitais. Com o sucesso desse trabalho, recebeu o reconhecimento como Apple Distinguished Program (ADP) em 2016. Segundo a gerente de tecnologia educacional da Escola Crescimento, Patrícia Fonseca, a tecnologia Apple estimula o protagonismo dos estudantes. Na instituição, o iPad é uma das principais ferramentas empregadas em sala de aula. “Acreditamos ser a melhor opção”, garante a profissional. “O iPad é um equipamento muito robusto e possui uma gama de aplicativos com várias possibilidades de uso”, complementa.

O ADE (Apple Distinguished Educator) Antonio Ferro faz coro com Patrícia Fonseca. “Este é o ponto: temos que ensinar as pessoas no Brasil a compartilharem mais suas ideias, a serem mais autoras”. Para o consultor, esse é o grande salto de qualidade com a proposta educacional da Apple. “É disso que eu gosto – dessa proposta autoral, do conte sua história, compartilhe sua experiência”, sentencia Ferro. Ele afirma que a tecnologia não é mais apenas uma opção das escolas. “Os alunos já decidiram usar, e os professores precisam aceitar isso”, observa. “Caminhar para uma boa utilização, pois é o que o mundo do trabalho exige”. No entendimento do especialista, os alunos devem aprender a produzir com a tecnologia já na Educação Básica. “As escolas que conseguirem ensinar isso muito bem serão as melhores”, aposta Antonio Ferro, em entrevista à revista iPlace Educacional.

 

Mar de possibilidades

Antonio Ferro usa sua experiência pessoal como professor de Física para ilustrar as potencialidades do iPad na escola. “Gosto de gerar situações que tirem alunos e professores da zona de conforto”, explica. “Um exemplo foi o projeto das pontes de macarrão. Nele, os alunos precisavam aprender a elaborar perguntas e buscar respostas para resolver um problema. Depois de aprender o que é uma treliça e conceitos da estática, faziam a simulação de uma ponte no iPad. Para tanto, foi usado o aplicativo Force Effect Autodesk, que calcula o esforço em estruturas. Em seguida, tinham de construir, apresentar para os pais, e partíamos para a competição de peso, até as pontes quebrarem. Uma delas conseguiu aguentar 80 quilos, pesando apenas 900 gramas”.

Outro projeto citado por Antonio Ferro foi desenvolvido com um professor de Geografia para o estudo de vetores e orientação. “Numa área mais afastada da cidade, entregamos aos alunos uma bússola e coordenadas para acharem o caminho de casa. No meio disso, precisavam resolver problemas de Física e Geografia, achar outras coordenadas e traçar um mapa da região. Apresentei esse projeto no Japão e algumas escolas da Inglaterra o replicaram”, relata o consultor. Seja qual for a disciplina, as soluções educacionais da Apple oferecem um mar de possibilidades. E o iPad é a grande porta de entrada, garantindo uma experiência digital incomparável em sala de aula.

Que tal saber mais sobre o ecossistema educacional da Apple e depois implantar um projeto personalizado para sua escola? Fale com um especialista da iPlace Educacional pelo fone 4020.7900 ou e-mail contato@iplace-educacional.com.br.

 

Foto: iStock/LightFieldStudios

Download (PDF)

Copyright © 2018 iPlace. Todos os direitos reservados. | Condições de uso | Política de Privacidade