20 de agosto de 2019

Escolas adotam a meditação para manter alunos focados

Contar com um ambiente agradável, tranquilo e produtivo é fundamental para favorecer o processo de aprendizagem. No entanto, manter a atenção dos alunos em sala de aula é um exercício cada vez mais desafiador. Neste contexto, algumas escolas do Rio de Janeiro encontraram na meditação uma estratégia para melhorar o foco dos estudantes. Afinal, em meio a tantos estímulos externos, a prática estimula concentração, relaxamento, autoconhecimento e um maior controle das emoções.

Dessa forma, a meditação também ajuda a promover a inteligência emocional e a saúde mental dos alunos. Especialmente daqueles que enfrentam rotinas mais intensas de estudo em períodos de pré-vestibular e concursos. Ao mesmo tempo, especialistas indicam que a prática pode ser iniciada com crianças a partir dos seis anos. Nessa idade, a dica é utilizar uma técnica simples chamada Pranayama, que é a respiração pura. Ou seja, além de trazer mais calma, a meditação poderá inclusive ensinar a criança a respirar corretamente. Antes disso, as músicas meditativas também podem contribuir para acalmar os bebês, pois transmitem um efeito relaxante.

 

Benefícios da meditação em sala de aula

Diversas são as pesquisas que comprovam os efeitos positivos da meditação no tratamento da depressão, da ansiedade e do estresse. Além disso, a prática melhora a capacidade mental dos estudantes e auxilia pessoas com Transtorno do Déficit de Atenção (TDAH). Dessa forma, apesar de ser frequentemente vinculado a uma conotação religiosa, o método possui aplicação universal. A partir desta abordagem, a professora e psicóloga Claudiah Rato lançou o livro Meditação Laica Educacional (MLE).

Disponível no Apple Books, a obra retrata a experiência bem-sucedida da meditação no Colégio Pedro II, no Rio de Janeiro. O livro mostra como professores e alunos podem estabelecer um ambiente mais cordial e colaborativo em sala de aula. Tudo isso a partir de 12 minutos de aplicação de MLE. Segundo Claudiah, a meditação também melhora a capacidade dos estudantes de lidar com pensamentos e emoções de maneira mais criativa. Além do Colégio Pedro II, outras instituições também já apresentam experiências positivas com a meditação escolar. A Escola Municipal Dom Pedro I, a Escola Pedra da Gávea e o Colégio Bahiense estão entre eles.

 

Dispositivos Apple ajudam a meditar

Como visto, a meditação está conectando ainda mais os estudantes com as vivências em sala de aula. Por sua vez, os dispositivos Apple são as ferramentas ideias para estimular até mesmo esta importante conexão interior. Afinal, são muitos os aplicativos capazes de orientar tais práticas. Medite.se, Meditopia, Oak e Headspace são exemplos entre as inúmeras opções da Apple Store.

Foto: iStock/Wavebreakmedia

Download (PDF)