26 de setembro de 2019

Como o uso da tecnologia ajuda a combater a evasão escolar

No Brasil, cerca de 1,3 milhão de adolescentes de 15 a 17 anos estão fora da escola. Ao mesmo tempo, outros dois milhões de estudantes estão atrasados. Isto é, não estão cursando a série adequada a sua idade. Os dados são da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua), divulgados pelo IBGE.

Apesar de mais frequente entre os jovens, a evasão escolar é um problema que também atinge crianças menores. Afinal, há muitas questões que podem afastar os alunos da escola, como reprovações, condições socioeconômicas, culturais e geográficas. Do mesmo modo, são inúmeras as estratégias que podem ajudar a combatê-las e, entre elas, está a tecnologia.

Ao contrário de antigas práticas, ferramentas de ponta como as do iPad envolvem por completo as novas gerações. Assim, além de contribuir para aumentar o interesse dos estudantes pelo conteúdo, esses recursos tecnológicos permitem a personalização do ensino.

Dessa forma, cada aluno tem a oportunidade de aprender em seu próprio tempo. Além disso, são alternativas perfeitas para integrar estudantes de diferentes contextos e até nacionalidades.  Contudo, mais do que simplesmente dispor da tecnologia em sala de aula, é fundamental integrá-la ao projeto pedagógico da escola.

 

Para envolver os alunos e combater a evasão escolar

A chave para encantar os alunos e conquistar atenção está na forma de explorar o conteúdo em sala de aula. Desse modo, a proposta é incluir um pouco mais de práticas e experiências para compartilhar as teorias. Por exemplo:

 

Artes e História

Com o Google Arts & Culture, professores de Artes e de História podem apresentar aos alunos uma gigantesca pinacoteca virtual. Gratuito na App Store, o aplicativo permite conhecer pessoas, lugares e saber mais sobre os eventos que moldaram o mundo. Para isso, reúne milhares de fotos, vídeos, manuscritos e obras de arte. O conteúdo pode ser exibido em todos os tipos de tela e em realidade virtual. Além disso, oferece aos alunos a oportunidade de descobrir obras de arte que se pareçam com suas selfies. Ou seja, ajuda a criar sentido e conexões para fixar o aprendizado.

Já para estudar a Segunda Guerra Mundial, a dica é explorar séries e programas da Nat Geo TV. O rico portfólio do canal pode ser acessado nas telas do iPhone, do iPad e ainda na Apple TV.

 

Ciências, Biologia e Matemática

Quando o assunto é anatomia, o que não falta é interatividade. Afinal, muitos são os aplicativos que permitem estudar o corpo humano através de imagens tridimensionais e em realidade aumentada. Entre eles está o Anatomia – Atlas 3D e o Anatomia Humana 3D AR, ambos gratuitos na App Store. Enquanto isso, para aumentar o rendimento da turma em Matemática, o Geogebra permite explorar a geometria de forma interativa. Com ele é possível criar linhas, círculos, polígonos e ângulos; medir comprimentos e áreas e muito mais.

 

Dinamismo, criatividade e protagonismo

De forma especial, as tecnologias educacionais da Apple têm tudo o que é preciso para estimular a criatividade dos alunos. Além do iPad e da Apple TV, o iMac é um equipamento robusto e de excelente performance para a educação. Aliás, ele possibilita o desenvolvimento de conteúdo personalizado tanto pelas mãos dos alunos quanto dos professores. Assim, traz ao ambiente educacional um novo olhar para a produção digital.

Ao mesmo tempo, para escolas interessadas em investir em laboratórios móveis, a iPlace possui uma ótima solução. Trata-se do Carrinho iPlace 2.0, uma estação de recarga e transporte de periféricos projetada para equipamentos de alta tecnologia. Com ela, é possível ter os dispositivos sempre à mão e prontos para o uso.

Tudo isso garante praticidade aos professores e liberdade criativa para os estudantes, que se tornam os protagonistas do próprio aprendizado. Somados, esses fatores representam poderosas estratégias de combate à evasão escolar.

 

Mediação e acompanhamento escolar

Para além das fronteiras da sala de aula, a tecnologia contribui com o processo educacional como um todo. Afinal, potencializa a gestão escolar e favorece maior participação dos pais no desenvolvimento dos filhos. Desse modo, fica mais simples e eficiente o acompanhamento de questões como frequência, rendimento e atividades realizadas pelos estudantes. Sem contar que a tecnologia é a melhor aliada da acessibilidade. Afinal, a partir dos dispositivos Apple é possível universalizar a comunicação e o acesso ao conteúdo da sala de aula.

Quer saber tudo que o iPad e o ecossistema Apple podem fazer por sua instituição de ensino? Então clique aqui e contate agora mesmo um especialista da iPlace Educacional!

Foto: iStock/StockRocket

Download (PDF)