30 de janeiro de 2020

Como capacitar estudantes para as profissões do futuro

Preparar crianças e jovens para a vida profissional, na fase adulta, nunca foi tão complexo. Hoje, sociedade, tecnologias e o próprio mercado de trabalho estão em constante revolução. Não à toa, um estudo divulgado em 2018 pelo Institute For The Future chegou a uma conclusão alarmante. Segundo a pesquisa, 85% dos empregos que existirão em 2030 ainda nem foram inventados. Assim, sem sabermos quais serão as profissões do futuro, cabe às escolas encontrar formas complementares de preparar seus alunos.

 

As 5 habilidades mais importantes

Os ofícios que existirão nos próximos anos ainda são desconhecidos, mas já se sabe quais serão as habilidades mais requisitadas. Nas próximas décadas, as competências subjetivas e de comportamento ganharão relevância. São as chamadas soft skills, das quais cinco devem se tornar preponderantes no exercício das profissões do futuro. Foi o que apontou análise publicada pela revista Você S/A ao reunir pesquisas feitas com 14.000 pessoas em 130 países. Confira abaixo a lista de competências consideradas cruciais para o futuro:

 

Comunicação

O mundo será cada vez mais colaborativo e globalizado. Por isso, as profissões do futuro demandarão, mais do que nunca, boa comunicação e relações interpessoais. Além de clareza e assertividade na fala e na escrita, também será essencial saber administrar grandes volumes de informação.

 

Resolução de problemas

Analisar as situações por diversas perspectivas e ser capaz de tomar decisões. Tais ações, que já são demandadas no mercado de trabalho atual, se tornarão ainda mais relevantes. Saber resolver problemas também envolverá ter uma bagagem cultural diversificada, o que propicie o desenvolvimento de novos mindsets.

 

Atenção a detalhes

Jovens nascidos na Era Digital, onde tudo é efêmero, muitas vezes são vistos como pessoas com pouca capacidade de concentração. Porém, as profissões do futuro com certeza demandarão foco nos detalhes, sabendo identificar o que é importante e prioritário. Cabe a uma educação de qualidade, portanto, conseguir aliar o dinamismo do digital à atenção, à disciplina e à resiliência.

 

Pensamento digital

Pensar de forma digital é mais do que apenas ter conhecimentos técnicos sobre códigos ou inteligência artificial, por exemplo. É compreender a lógica das tecnologias em si para, assim, saber explorá-las em todo seu potencial. E, dessa forma, vislumbrar usos e aplicações inovadoras para os conhecimentos já adquiridos.

 

Poder de adaptação

Possivelmente uma das soft skills mais importantes nos anos que virão. Afinal, quando ainda não sabemos quais serão as profissões do futuro, precisamos estar prontos para nos adaptar a tudo. Logo, o estudo de tendências e a atenção aos movimentos do mercado de trabalho serão de suma importância.

 

Apple abre terreno para as profissões do futuro

Na escola, há muitas formas de se trabalhar tais habilidades. Aliás, a Apple é uma grande aliada nessa empreitada. Afinal, a plataforma educacional da empresa oferece soluções que abrangem todas as soft skills listadas pelas pesquisas em questão.

Tudo começa com a introdução do iPad no ambiente escolar. O uso do dispositivo em sala de aula propicia uma educação mais dinâmica e com liberdade criativa. Características essas que exercitam a adaptabilidade e a comunicação. Com o iPad, aliás, é possível explorar o currículo Programação Para Todos. Por meio do aplicativo Swift Playgrounds, o currículo ensina a programar de forma fácil e divertida. Assim, além de abordar um conteúdo que com certeza será útil às profissões do futuro, ainda desenvolve o pensamento digital.

O iPad e o Programação Para Todos também são ótimas ferramentas para introduzir a cultura maker em sala de aula. Esse movimento incentiva o aluno a colocar a mão da massa e tornar-se protagonista do próprio aprendizado. Dessa forma, exercita a atenção a detalhes e desenvolve muito a habilidade de resolver problemas. Todo esse conjunto de competências, a propósito, vai ao encontro das novas diretrizes da Base Nacional Comum Curricular (BNCC).

 

Onde o futuro já chegou

No Brasil, diversas escolas já são adeptas da plataforma educacional da Apple. É o caso, por exemplo, da Avenues São Paulo. Com mais de 700 alunos, a instituição aplica tecnologia no desenvolvimento coletivo das habilidades necessárias às profissões do futuro. E tudo isso se dá com o uso extensivo de dispositivos Apple. Por isso, desde o começo de suas atividades, a Avenues conta com a parceria da iPlace Educacional.

Parceria essa que também pode se estabelecer na sua escola. Para tanto, basta entrar em conosco e conhecer as opções de implantação da plataforma Apple. Há, inclusive, planos de leasing educacional, que permite implementar projetos sem comprometer o orçamento.

Para conhecer mais, entre em contato com a iPlace Educacional e converse com um de nossos especialistas!

Foto: iStock/ismagilov

Download (PDF)