21 de Maio de 2020

As novas dinâmicas entre pais e filhos durante o isolamento

Em todo o mundo, uma das primeiras decisões tomadas para evitar a disseminação do novo coronavírus foi a suspensão das aulas. A medida mostrou-se bastante eficaz no combate à pandemia, mas demandou uma série de ajustes – inclusive no universo educacional. Tanto por parte tanto das instituições de ensino, que precisaram criar planos emergenciais de educação a distância, quanto das famílias. Afinal, com adultos e crianças passando muito mais tempo em casa, está se formando uma nova dinâmica entre pais e filhos.

O convívio intensivo, inédito em muitos núcleos familiares, foi recentemente tema de uma live promovida pelo Laboratório Inteligência de Vida. O LIV é um programa de desenvolvimento de habilidades socioemocionais criado pelo grupo Eleva Educação.

Na transmissão por vídeo, intitulada “Pais e filhos finalmente em casa”, foi entrevistado o psicanalista e professor Christian Dunker. Acompanhe, a seguir, algumas das principais ideias debatidas no evento online.

A realidade do confinamento

Nos tempos pré-pandemia, que já parecem distantes, a vida costumava ser dividida entre “casa” e “rua”. Tarefas e compromissos de escola e trabalho, bem como muitas interações sociais, eram reservados ao ambiente externo.

Tais atividades, tidas de certa forma como “públicas”, agora precisam acontecer dentro de casa, local normalmente reservado às relações familiares. Mas tamanha “junção de universos”, combinada à obrigatoriedade de confinamento e às incertezas quanto ao futuro, pode ser problemática.  

De acordo com Christian Dunker, o momento pede ainda mais diálogo entre pais e filhos. “Famílias precisam entender que há uma tarefa pela frente. E que ela não será feita por decreto, mas com muita conversa”, afirmou na live. O psicanalista lembrou ainda que as crianças tendem a ter mais dificuldade em processar as mudanças recentes no cotidiano.

Porém, segundo ele, isso não impede que os pais sejam francos com os pequenos. “Diga a verdade às crianças. No tempo delas e com a linguagem adequada; mas não esconda seus medos e incertezas. Crianças são muito mais resilientes, fortes e capazes de colaborar do que imaginamos.”

Uma nova experiência compartilhada entre pais e filhos

Essa relação de honestidade pode abrir as portas para uma nova configuração das relações familiares – mais adequada aos novos tempos. Afinal, o trabalho remoto e a educação a distância, apressadamente catalisados durante a pandemia, já vinham sendo apontados como tendências. Ou seja, apenas abreviamos um processo que já estava em andamento e que veio para ficar.

Com isso, podemos perceber e, com sorte, até solucionar problemas que só seriam notados mais à frente. Conforme Dunker, “as pessoas estavam muito fixadas no aspecto tecnológico (da educação a distância) e pouco tocadas pelo fato de que isso altera completamente a circulação dentro de casa”. 

Segundo o psicanalista, pais e filhos estão experimentando uma violação de suas expectativas quanto a trabalho e ensino remotos. Porém, ao mesmo tempo, estão tendo a oportunidade de acelerar a superação desses problemas inesperados. Consequentemente, de adequar-se a  esta nova realidade, mais integrada à família e mais digital.           

Confira, no vídeo abaixo, a íntegra da live “Pais e filhos finalmente em casa”, promovida pelo LIV:

https://youtu.be/j90aV7FnVMY

Foto: iStock/Liderina

Download (PDF)