16 de novembro de 2020

Ensino remoto: interação entre alunos melhora aprendizagem

A cada semana, o ensino remoto adotado massivamente em função da pandemia ganha novas análises e interpretações. Afinal, a experiência ainda é relativamente recente em muitas escolas. Consequentemente, apenas com o passar do tempo é que as instituições estão conseguindo apontar vantagens e limitações do formato.

No lado positivo, por exemplo, está a descoberta de que a educação a distância pode facilitar a migração para métodos de avaliação mais modernos. Já no campo oposto reside a percepção de que o convívio restrito entre alunos acaba por limitar o aprendizado. Diante disso, como compreender e superar esse desafio?

A realidade do ensino remoto

A educação a distância, pode-se dizer, está bem abastecida de recursos que facilitam o contato entre o professor e o aluno. Afinal, há muitos apps e softwares disponíveis no mercado voltados à criação de apresentações online ou à gravação de videoaulas.

Porém, em sua maioria, tais ferramentas focam na comunicação entre o professor e a classe. Assim, acabam deixando um pouco de lado a interação entre os alunos. E esse diálogo entre pares, característica tão marcante na sala de aula tradicional, cumpre importante papel no processo de aprendizagem. Afinal, é conversando com colegas que muitos alunos conseguem tirar dúvidas, entender outros pontos de vista e fixar os conteúdos.

Criando mais interações

Tal limitação diagnosticada no ensino remoto, embora preocupante, não é incontornável. Muito pelo contrário: graças à tecnologia, há várias formas de estimular o contato entre os estudantes, mesmo a distância. Só é necessário que o professor tome a iniciativa – algo, por vezes, dispensável na aula presencial, em que a interação ocorre naturalmente.

Entre as atividades que podem ser propostas estão os debates em pequenos grupos, onde o professor se porta como mediador. Isso pode se dar via texto, em aplicativos de mensagens ou documentos compartilhados online no iWork, por exemplo. Pode se dar também por vídeo, com recursos como o Facetime, que é gratuito em todos os dispositivos Apple. Outra opção ainda é usar os ambientes virtuais de aprendizagem, já adotados por muitas instituições, como plataforma para as atividades.

De qualquer modo, nesses exercícios, é importante que seja reservado um tempo para que os estudantes conversem apenas entre si. O professor pode atuar como um observador, ou mesmo nem estar presente durante a primeira etapa das sessões. Depois, num segundo momento, entra em contato com os grupos para tirar dúvidas, fazer avaliações e dar prosseguimento às atividades.

Assim, mesmo quando apresenta limitações, pode-se perceber como o ensino remoto tem na tecnologia uma grande aliada. Com as melhores ferramentas educacionais em mãos, alunos e professores podem, juntos, superar obstáculos e aperfeiçoar os processos de aprendizagem.

Quer conhecer as melhores tecnologias voltadas ao ensino e descobrir como implementá-las em sua escola? Então entre em contato agora mesmo com a iPlace Educacional e converse com um de nossos especialistas!

Foto: iStock/MNStudio
Download (PDF)